Tribunal de Cascais condena stripper e segurança que degolou taxista por causa de falsa cocaína

Por Redação CASCAIS24

16.01.2017


Stripper e segurança da noite em Lisboa, o luso-venezuelano Carlos Manuel Valente, 36 anos, que degolou um motorista de táxi, há ano e meio, em Terceira, Oeiras, viajando depois com o corpo na bagageira do carro até ao Intermarché, em Valongo, a 340 quilómetros de distância, foi julgado e condenado por um coletivo do Tribunal de Cascais a 19 anos e seis meses de prisão e ao pagamento aos familiares da vítima de 115 mil euros.

Carlos Manuel Valente, conhecido por “Vany”, desferiu, com uma faca de cozinha, três golpes fatais no pescoço do taxista Alcino Jesus Aguiar Amaral, 60 anos, durante um encontro entre ambos, perto da casa do arguido, em Tercena, Oeiras. 

Em causa, segundo ficou provado em tribunal, esteve o facto de Carlos Valente ter vendido a Alcino, por 70 euros, cocaína que, afinal, não passava de mera farinha.

Alcino Amaral, o taxista degolado
Enganado, o motorista de táxi combinou o encontro, do qual veio a resultar a sua morte.
Depois, o suspeito colocou o corpo da vítima na bagageira de um Mercedes – onde o manteve oculto - e conduziu a viatura até junto da sua residência.


No dia seguinte, Carlos Valente transportou o corpo no veículo, ao qual alterou as chapas de matrícula, até junto do supermercado ‘Intermarché’ de Valongo, a cerca de 340 quilómetros, onde veio a ser detido por agentes policiais, na sequência do furto de uma vela aromática naquela superfície comercial.


Corpo estava na bagageira e foi descoberto a 340 km de distância
Foi nessa altura, que o corpo do industrial de táxis Alcino Jesus Aguiar Amaral foi descoberto na bagageira do Mercedes.


Quando foi detido junto ao Intermarché, em Valongo, Carlos Valente dirigia-se ao encontro da namorada, a viver na região.


Admite-se que viesse mais a tarde a desfazer-se do corpo do malogrado taxista, que conhecia há algum tempo e ao qual era habitual requisitar serviços noturnos para transportar clientes de bares do Bairro Alto, em Lisboa.




Publicar um comentário

0 Comentários